Tel: (11) 99878-0284

  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Instagram Social Icon

© 2017 por Ana Paula Tavares Leonel.

Blog

Em primeiro lugar, pergunto a você: você quer mesmo um emprego/esse emprego? Eu pergunto isso porque tenho uma amiga que queria muito um emprego, mas não encontrava nada. Naquela época em que ela estava desempregada, ela estava namorando um homem aposentado, e estando os dois livres, eles iam ao cinema à tarde, faziam pequenas idas à praia durante a semana, ficavam muito tempo juntos. Com o tempo ela percebeu que, no fundo, ela não queria voltar a trabalhar, queria continuar passando o maior tempo possível com o namorado, e que ela estava se boicotando. Portanto, uma coisa é o que você quer da boca para fora, e outra, dentro do coração.

Em segundo lugar, faça tudo o que estiver ao seu alcance e tudo o que surgir na sua mente, pois a pior tentativa, é aquela que não foi feita. Não sou eu quem vai dizer a você o que fazer, mas posso dar algumas pequenas dicas que podem te ajudar:

  • envie e cadastre o seu currículo em todas as empresas de seu interesse, mesmo que não tenha sido anunciada...

"Namoro há quase 3 anos e meu namorado não elogia, não fala que gosta de mim e quando indago ele diz que está tentando melhorar ou tem outras prioridades, como concurso. Ando triste. Pelos atos ele gosta de mim, mas falta palavras de carinho no nosso relacionamento. Sinto que isso está nos atrapalhando. O que recomenda?"

Muitas vezes queremos que uma pessoa seja o que nós esperamos, ao invés de amá-la pelo que ela é. Existem pessoas que amam, principalmente os homens, mas não se lembram de datas, não se preocupam em dar presentes, etc., mas isso não significa que não amem. Às vezes o nosso foco em uma pessoa é maior do que o foco dela em nós (como foi dito na pergunta, o namorado também está focado em outras prioridades, como um concurso), e isso também não significa que não nos ame. Uma coisa que eu acho muito importante são as ações, mais do que as palavras, e pelo que foi dito na pergunta, ele, aparentemente, gosta dela. Será que não exigimos do outro algo que não é da personalidade...

Eu sou uma pessoa adepta da vida saudável para a manutenção da saúde física e mental. Sou vegetariana há 32 anos e, além de psicanalista, sou professora de Yôga. Sou contra medicamentos, mas concordo que, em situações de crise eles auxiliam na qualidade de vida. Porém, os remédios para a depressão e para outras patologias psíquicas, se necessários, devem ser usados em caráter temporário (salvo situações crônicas e específicas). Os medicamentos tratam as consequências, mas não as causas dos problemas. O tratamento com psicólogo e psiquiatra ou psicanalista são fundamentais, mas existe uma porção de fatores que podem melhorar um quadro depressivo, como por exemplo, a alimentação, atividade física, amizades e relacionamentos satisfatórios, projetos, planos e propósitos de vida, entre outros. O desequilíbrio químico do organismo pode ser causado pelas emoções, mas uma alimentação saudável e equilibrada pode ajudar muito, sem dúvida.

O que se pode cons...

Muita gente diz que não é louco para fazer análise ou terapia. Mas será que isso é só para os “loucos”? E o que é ser louco?

Na verdade, a psicanálise é para qualquer um. Quem se considera sem problemas ou com a capacidade de administrar bem sua vida emocional, pode se beneficiar com o autoconhecimento e, com isso, levar uma vida mais prazerosa, suave e administrando melhor ainda as contrariedades que surgirem. Conclusão: uma melhor qualidade de vida.

Mas se a pessoa tem problemas emocionais de qualquer ordem, decidir fazer uma análise é a primeira atitude sã que uma pessoa com problemas pode ter. É perceber e admitir que precisamos do outro para conhecermos a nós mesmos. Isso porque o nosso lado emocional nos torna cegos para o que somos e sobre como reagimos diante das adversidades da vida. Uma coisa é o que nós pensamos que somos, outra o que os outros pensam que somos, e uma terceira ainda, é o que realmente somos.

Em princípio, a pessoa se beneficia apenas pelo simples fato de falar....

Quando pensamos em psicopatas, pensamos em assassinos, mas nem todo psicopata é assassino, pois existem graus, desde traços leves de psicopatia, até o mais alto grau, ou seja, aqueles que torturam e matam e se comprazem com isso.

Na população mundial, calcula-se que em torno de 1% são psicopatas, a maioria, homens. Os psicopatas caracterizam-se por serem pessoas sem sentimentos, sem remorso e sem culpa. Bem, corrigindo, eles têm sentimentos, sim – raiva, quando não atingem seus objetivos.

Vários fatores podem levar uma pessoa a ser um psicopata – maus tratos na infância (fatores psíquicos), fatores genéticos hereditários e/ou fatores biológicos.

A má notícia é que muitos deles vivem entre nós, e muitas vezes nem percebemos, porque eles são sedutores e charmosos, não porque gostem de nós, mas porque têm interesse em alguma coisa. São mentirosos e manipuladores, e por isso são difíceis de serem identificados no meio social. A sedução, a manipulação, sempre visam um objetivo pessoal e egoíst...

Quando falamos de ação e reação, estamos, geralmente, nos referindo, apenas, às consequências das nossas ações. Isso é fundamental e é uma lei da natureza incontestável, de que uma bola de borracha atirada na parede volta para nós com a mesma força que foi arremessada.

Mas eu quero falar aqui de ação e reação como atitudes com relação à vida. O que eu quero saber é se você age ou apenas reage com relação à sua vida.

Reagir com relação à vida é aceitar as coisas que acontecem passivamente e colocar-se como vítima diante de tudo, responsabilizando situações ou outras pessoas, e sem direcionar seus esforços para os seus sonhos e planos. É isentar-se de responsabilidade sobre tudo o que lhe acontece. É como, por exemplo, a pessoa que ficou gravemente doente e atribui sua doença ao azar, ao acaso, quando na verdade, a pessoa se alimenta mal, não se exercita, bebe, fuma, não tem lazer e vive estressado, entre inúmeros outros exemplos que eu poderia citar aqui.

Agir, por outro lado, é fazer acon...

28/01/2018

English version - watch the video below.

Tomar medicamento para a ansiedade não é a melhor solução e, na verdade, é pouco efetivo. Os medicamentos para a ansiedade viciam. O corpo deixa de produzir o que o medicamento supre. Quando se tenta deixar o medicamento, o corpo não o está produzindo, e é necessário um certo tempo até o corpo voltar a produzir. Muitas pessoas não conseguem suportar esse tempo.

Nossa biologia foi desenhada para garantir nossa sobrevivência, mas com isso, acaba sabotando nossos corpos e mentes. Quando sentimos medo ou stress, nosso corpo libera cortisol, que é o hormônio do stress. Esse hormônio é um dos responsáveis por nos deixar alertas para a luta ou fuga. No passado, era útil quando nos deparávamos com um predador, mas, apesar desse perigo não ser tão relevante hoje, nossas respostas são as mesmas. Toda vez que nosso corpo percebe o perigo, libera cortisol. Por exemplo, quando pensamos que não vamos conseguir pagar as contas em dia, quando pressentimos que ser...

Please reload

Destaques

Não consigo um emprego. Como lido com isso?

14/06/2018

1/4
Please reload

Arquivos
Please reload

Siga-me
  • Grey Facebook Icon
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now